Terapia Ocupacional

"A vida é feita de ocupações - atividades diárias significativas que queremos, precisamos ou é esperado que façamos. Muitas vezes não pensamos nelas, até termos dificuldades em realizá-las ou existir possibilidade de não as conseguirmos realizar. A Terapia Ocupacional é uma profissão da área da saúde que atua no campo da prevenção ou intervenção de dificuldades ocupacionais, em qualquer uma das atividades significativas para a pessoa que recebe esse serviço.

As ocupações, que estão presentes em qualquer faixa etária, podem estar relacionadas com atividades de vida diária (comer, vestir-se, tomar banho, p. ex.), atividades de vida diária instrumentais (cuidar da casa ou de outros, ir às compras, conduzir, p. ex.), descanso e sono, educação, trabalho e produtividade, brincar e lazer ou até mesmo participação social.

O objetivo principal da intervenção em Terapia Ocupacional é promover o maior nível de autonomia, participação e envolvimento da pessoa nas atividades em que apresenta dificuldades. Em qualquer idade e para qualquer pessoa (com ou sem patologia/défices), poderá ser necessário recorrer a serviços de Terapia Ocupacional se existirem dificuldades ou risco de desenvolver dificuldades em realizar qualquer atividade que a pessoa queira, precise ou seja expectável que ela faça

Por exemplo, na infância e adolescência, a Terapia Ocupacional poderá ser necessária porque a criança tem dificuldades em comer (ex. suja-se muito ou não consegue utilizar os talheres), em vestir-se (ex. distinguir o avesso do direito, abotoar a roupa ou atar os sapatos), realizar a higiene de forma autónoma (ex. retirar todo o sabão das mãos ou do corpo, saber usar ou tolerar a escova de dentes na boca), em brincar (ex. explorar o brincar simbólico ou participar em jogos de grupo no recreio), na escola (ex. manter a atenção durante as aulas, segurar o lápis de forma correta, copiar do quadro para o caderno) ou até mesmo dormir, autorregular-se ou tolerar alterações nas rotinas, por exemplo.

Alguns destes comprometimentos são típicos de perturbação de espetro do autismo, défice de hiperatividade e atenção, paralisia cerebral, prematuridade ou podem não estar relacionados com nenhum diagnóstico específico. Independentemente de existir ou não um diagnóstico, sempre que haja suspeita de dificuldades em alguma área que afete a autonomia e participação da criança numa atividade importante para ela ou para a sua família, é aconselhável marcar uma avaliação com um Terapeuta Ocupacional."